Ciúmes #02 – Equilíbrio

Vamos compreender um pouco mais e melhor sobre o ciúme

No dicionário diz:

> Estado emocional complexo que envolve um sentimento penoso provocado em relação a uma pessoa de que se pretende o amor exclusivo; receio de que o ente amado dedique seu afeto a outrem; zelo (mais us. no pl.)
> Medo de perder alguma coisa

Podemos afirmar que o ciúme está de fato relacionado à nossa própria visão e ausência de amor desequilibrado, queremos exclusividade e unicidade.  Claro que há uma diferença em pensar que o outro está nos traindo e ver o outro beijando e correspondendo ao beijo com outra pessoa.

Vale lembrar que o ciúme é diferente da inveja, (a inveja é o desejo de ter ou ser o que o outro tem ou é), mas o ciúme é um fato que gera a insegurança, medo de não ser o centro.

Assim sendo, as pessoas inseguras têm uma tendência maior a se sentirem deixadas de lado e isso poderá gerar ciúmes. Os motivos podem ser os mais simples e infundados. Aqui se faz valer o mundo real e o imaginário.

Mas como trabalhar o ciúme?

Fantasmas do passado

Com base em fatos que marcaram a pessoa, com total certeza isso poderá ser um fortalecedor do ciúme, uma experiência traumática em algum tipo de relacionamento, seja ele antigo ou mais atual. Ao passar por uma traição, por exemplo, a pessoa que antes não se considerava ciumenta passa a sentir-se desconfiada, com medo de passar por tudo aquilo novamente.

E agora, em um novo relacionamento?  O dialogo e a sinceridade se faz necessário, é importante dizer ao outro o que aconteceu e que precisa da ajuda par sanar aquela situação, o relacionamento precisa ser verdadeiro e sem segredos… E se for uma segunda chance a quem “pisou na bola”, torna-se muito mais cauteloso de agora em diante.  Lembre-se, dialogo aberto (não são gritos, ou piadinhas) deve ser constante e sincero.

Autoestima lá embaixo

Infelizmente algumas pessoas ouviram muitas coisas feias quando eram crianças, e até dos próprios pais ou parentes próximos… Coisas do tipo: Você é feio (a), estranho (a), vai morrer sozinho (a)…

Ao ter um relacionamento, e por qualquer motivo, a sensação irá se fazer presente, – as sensações são passadas biologicamente por até oito gerações e essas ficam ativas nas células – assim sendo uma crise de ciúme poderá vir a tona, se o outro (a) fizer algo que julgamos ruim, por exemplo: falar com uma pessoa do sexo oposto no WhatsApp, curtir uma foto no Facebook… são ações que podem desencadear uma forte crise.

Faça um lista com cem qualidade, e coisas que você gosta de fazer, dia a dia inclua novos elementos, e leia essas qualidades e coisas boas todos os dias,  isso irá te fortalecer e manter focado (a) no seu lado positivo.

Para finalizar o conteúdo de hoje, sugerimos que faça a “dinâmica do banheiro”,  um lugar seguro e sem interrupções (espero rsrsr).  Respire fundo, tranquilize o corpo, olhe profundamente no espelho, olhe mais ainda e veja apenas você, e olhando mais fundo ainda, se conecte com o sentimento de ciúme e dê um lugar a ele no seu coração, diga que caminharam muito tempo juntos, mas agora é a hora de partir e ele segue caminho dele e você seguirá o seu caminho, ambos em paz, amor e tranquilidade.

Se você sentir que o sentimento de ciúme não é seu, mas que é um peso em você, diga ao ciúme como foi bom caminhar com ele, mas agora você o deixa livre para ir a quem o pertence…

Quero saber como foi essa experiência, deixe seu comentário aqui em baixo